COVID-19

COVID-19 é o nome da doença provocada pelo novo coronavírus SARS-COV-2, que pode causar infecção respiratória grave como a pneumonia. Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos, no final de 2019, na China e depois propagou-se a outros países. A doença COVID-19 foi declarada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde.


O que é uma pandemia?

Uma pandemia é uma epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população localizada numa grande região geográfica como, por exemplo, um continente, ou mesmo o planeta inteiro (este é o caso do novo coronavírus, ou seja, houve a propagação mundial de uma nova doença).


Quais são os sintomas da doença COVID-19?

Os sintomas mais frequentes associados à infeção pelo COVID-19 são: febre, tosse, dificuldade respiratória (ex: falta de ar). Uma vez que a tosse e a dificuldade respiratória são sintomas habituais de muitos doentes com patologia respiratória crónica, deve estar atento à ocorrência de alguma modificação no padrão habitual e à presença de febre, bem como outros potenciais sintomas que se podem associar, embora menos frequentemente: dores de cabeça e/ou dores musculares, cansaço, dor de garganta, corrimento nasal.
Em casos mais graves, pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos, e eventual morte.


Quem são as pessoas em risco de casos mais graves?


De acordo com as informações disponíveis atualmente, as pessoas que correm o maior risco de ter uma doença crítica, ou mesmo morrer, do COVID-19, são as de idade mais avançada e aquelas com doenças associadas, principalmente hipertensão arterial, diabetes e doença cardiovascular.
A British Thoracic Society considera que a maioria dos pacientes com fibrose pulmonar idiopática, se enquadra nas categorias de “alto risco” do COVID-19 e recomenda que esses pacientes devem isolar-se socialmente e trabalhar em casa, sempre que possível.
Para as pessoas com patologia respiratória crónica, e de forma a esclarecerem as suas dúvidas, a European Lung Foundation (ELF) colocou questões enviadas por doentes respiratórios ao Professor James Chalmers, da European Respiratory Society (ERS). Pode aceder gratuitamente às perguntas e respostas, disponíveis também em português, através do site:
https://www.europeanlung.org/en/QA-covid-19


Como se pode proteger?


Mantendo-se atualizado com as informações fidedignas sobre a COVID-19 (https://covid19.min-saude.pt/), e seguindo as medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença:
- Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com a zona interior do cotovelo, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo;
- Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%;
- Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória;
- Evitar tocar na cara com as mãos;
- Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado.

Se houver um caso de COVID-19 na sua comunidade, evite o contacto próximo com pessoas e, se possível, mantenha-se em casa. Preste atenção aos sinais e sintomas. Se ficar doente, permaneça em casa e ligue para o SNS24 (808 24 24 24). Se estiver no Norte e tiver sintomas suspeitos, pode em alternativa ligar 220 411 190, uma linha telefónica criada pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte.  


Atendimento médico


Sabemos que para ajudar a limitar a propagação do vírus, muitas consultas médicas foram desmarcadas e o acesso às instituições de saúde está limitado. Mas muitos médicos estão a possibilitar o contacto através de telefone. Alguns de vocês podem precisar ser avaliados e / ou fazer exames. Nesses casos, telefone ou tente o contacto via email para o seu médico/hospital (provavelmente receberá uma ligação do hospital) para discutir as opções para sua consulta.
Qualquer dúvida sobre a toma da sua medicação habitual anti-fibrótica neste contexto deve ser discutida com o seu médico. Não tome decisões sem o consultar.
Se tiver algum sinal de doença – tosse diferente, dor de garganta, febre, qualquer coisa – isole-se e entre em contato com seu médico.

 

Estes são tempos difíceis e desafiadores! Por favor, siga as instruções da Direção Geral de Saúde. Eles estão a fazer o possível para ajudar a retardar a propagação desta doença e manter as pessoas seguras. Fique atento às notificações do governo para obter informações atualizadas sobre a COVID-19.

PT/ESB/1216/0015(1)a, Mar 2020.